NOTÍCIAS

A prática precoce de exercícios físicos previne o AVC

02.08.2010

Por Prof. Wagner S. Dantas


Nas sociedades ocidentais, esportes representam a mais importante forma de atividade física no lazer. Vários estudos antigos sugeriam que atividades esportivas na adolescência e vida adulta podem prevenir acidente vascular cerebral, mas tal efeito protetor não foram encontrados em outros estudos recentes.O efeito preventivo de atividades esportivas durante o início da vida teria implicações importantes para a prevenção primária e educação em saúde.
Existem provas suficientes de que a atividade física protege contra os dois tipos de derrames ou acidente vascular cerebral - AVC isquêmico e o hemorrágico. O AVC isquêmico é em si uma doença heterogênea, e atualmente, não está claro se a atividade física diminui o risco de acidente vascular cerebral isquêmico . A atividade física pode reduzir aterosclerose arterial, sendo possível que isso particularmente permita uma ação sobre os trombos dentro das artérias reduzindo o risco de acidente vascular cerebral.
Armin J Grau e colaboradores, neurologistas da Universidade de Heidelberg testaram a hipótese de que a pratica esportiva juvenil e na fase adulta estão associadas com menor chance de ter um acidente vascular cerebral
Os autores compararam 370 pacientes que tiveram um acidente vascular cerebral ou ataque isquêmico transitório (AIT) com 370 pessoas selecionados aleatoriamente na população na mesma idade e sexo. Entrevistas demonstraram atividades desportivas recente e pregressas e sua duração semanal.
Atividades desportivas regulares recentes foram menos freqüentemente relatados pelos pacientes com AVC (94 em 370, 25,4%) do que em indivíduos controles (162 em 370, 43,8%, P <0,0001). Após ajuste para fatores de risco vascular, a educação formal, e outros ficou evidente que a participação recente nas atividades do esporte foi significativamente associada com menor chance de ter AVC / AIT .Os dois grupos não diferiram no que diz respeito às atividades desportivas na vida adulta. Os indivíduos sadios que serviram de controle (69 em 365, 18,9%) mais do que os pacientes com AVC (25 em 361, 6,9%) participaram na atividade esportiva recente mesmo que não fossem ativos na adolescência, e esse padrão foi associado com menor chance de ter AVC / AIT em análise estatística multivariada.
Concluem os autores que esse estudo apóia resultados anteriores que mostraram que a atividade física traz proteção para evitar o acidente vascular cerebral. Os resultados sugerem que a atividade contínua ao longo da vida é mais adequado mas iniciar as atividades na fase posterior da vida adulta também é necessária para reduzir o risco.

 Fonte :: Stroke. 2009 Feb;40(2):426-31 - www.wagnersilvadantas.com.br