NOTÍCIAS

EXERCÍCIO FÍSICO X DEPRESSÃO

04.05.2017

A depressão e uma doença muito mais frequente do que se imagina, com tendência a aumentar cada vez mais nos próximos anos.
Existem alguns estudos que apontam maior incidencia no sexo feminino, porém pode atingir qualquer faixa etária, classe social ou cultural.
Seus sintomas interferem drasticamente na qualidade de vida e estão associados a altos custos sociais como: perda de dias de trabalho, atendimento médico e medicamentos.



Partindo do princípio da interdependência psicofisiologica, acredita - se que o exercício físico seja capaz de produzir endorfinas, substâncias que são capazes de atuar no controle do sono, apetite, estados de raiva e tristeza, tensão e ansiedade.

Especula- se também que o exercício regular faz com que o indivíduo se torne mais sensível ao efeito dessa substância, fazendo com que uma quantidade menor de hormônio seja necessária para induzir um feito positivo tornando - se assim um "vício positivo". Sensações de relaxamento e bem estar são percebidas pelo cérebro logo após a sessão de treinamento que por sua vez consegue equilibrar o estado de humor, entretanto, mais importante que os resultados a curto prazo são os de longo prazo. Para isso a seleção das atividades e muito importante e deve ser feita individualmente já que tanto os exercícios aeróbicos quanto os força são eficazes para uma melhora crônica. Observa - se que exercícios moderados são mais eficientes para maior adesão inicial pois proporcionam menor desconforto.

Por fim, a maioria dos casos tem cura, especialmente quando e tratada com uma equipe multidisciplinar. Existem diversos questionarios e avaliacoes comportamentais que podem levar ao diagnóstico... Se você apresenta algum sintoma que possa levar ao quadro depressivo não exite em procurar um médico especializado para que possa ser feito tratamento adequado. 

 

Texto adaptado por Flávio Faêda | CEO em Faêda Consultoria Esportiva