NOTÍCIAS

TREINAMENTO CONCORRENTE

04.03.2015

A maioria dos praticantes de atividades físicas em academias e atletas profissionais não nega a importância de se conciliar o treinamento aeróbio e a musculação (treinamento de força). Essa modalidade, chamada de treinamento concorrente pode ser distribuída de várias formas, sendo elas:


1. Simultaneamente, durante o mesmo treino.
2. No mesmo dia, porém, realizando um tipo de treino de manhã e o outro à tarde.
3. Separando os treinos em dias diferentes, por exemplo, corrida na segunda e treino de força na terça.
4. Durante períodos de treinamento específicos.

Essa estratégia é utilizada muito por atletas como forma de manter os dois tipos de capacidades: otimização da produção de energia pela via aeróbia e anaeróbia. Entretanto, sabemos que essa divisão de treinamento precisa ser feita com muito cuidado e sempre tendo em vista os objetivos principais daquele atleta (ou daquele período de treino).
Será que um tipo de treinamento pode atrapalhar o outro?
Muitas pesquisas que abordam esse tema apresentam um decréscimo no desenvolvimento da força e da hipertrofia por conta do treinamento aeróbio ser realizado com alto volume ou alta intensidade – principalmente quando observamos esses resultados nos membros inferiores devido à ausência de um intervalo correto para o descanso da musculatura. Porém, existem trabalhos que mostram que quando os treinamentos são realizados no mesmo dia, não existe esse comprometimento.


Treinamento Aeróbio ou Treinamento de Força, ordem do tipo de treinamento tem mesmo alguma importância?


Vamos continuar pensando nas pessoas que realizam os dois tipos de treinamento no mesmo dia. Um aspecto que não pode ser negado é que a fadiga residual da primeira atividade vai acabar interferindo na segunda, porém, a literatura não apresenta um consenso a respeito dessa ordem. As pesquisas conduzidas com essa abordagem de treinamento (as duas capacidades no mesmo dia) mostram que ao final do treino os resultados não apresentam diferenças. Outros estudos mostram que alguns métodos de alternância entre exercícios aeróbios e anaeróbios (e.g., circuito, entre as séries) apresentam vantagens e desvantagens. No final das contas vamos cair no mesmo funil quando falamos de treinamento que é a periodização. Seu professor vai ter que estar muito atento para saber qual tipo de treino é mais interessante para você em determinadas fases da sua periodização.


O que acontece quando realizamos o treinamento aeróbio antes da musculação.


Uma das primeiras adaptações positivas (e óbvias) que se observa é a melhora no VO2max. Outro aspecto é o aumento do consumo de oxigênio pós-exercício, indicando que existe um gasto calórico maior após a atividade, muito procurado para quem está interessado em melhorar o desempenho aeróbio ou reduzir a gordura corporal.
O que acontece quando realizamos a musculação antes do aeróbio.
Ao se realizar o treinamento de força antes, temos um maior ganho de força, potência e tamanho muscular. Tudo isso devido à ausência da fadiga pré-exercício causada pelo treinamento aeróbio. Um estudo mostrou que quando possível, um intervalo de 6 horas do treinamento de força para o treinamento aeróbio já seria o suficiente para não ter nenhum prejuízo causado pela fadiga. Treinamento para membros superiores parecem não serem comprometidos com o treinamento concorrente, dado contrário quando observamos treinamento para membros inferiores. Isso parece ser bem lógico quando olhamos sob o ponto que a maior parte das atividades predominantemente aeróbias são realizadas com membros inferiores.

Fonte: https://www.facebook.com/4seriesde15/timeline