NOTÍCIAS

13 maneiras de se livrar do estresse

08.10.2012

  

Ioga

Mantenha um hobby que lhe dê prazer. O prazer é fundamental para nos desligarmos das ocupações e preocupações

São Paulo - Dados internacionais revelam que 60% a 70% da população mundial sofrem algum nível de estresse justamente por não saberem como se defender da coleção de pequenos imprevistos, exigências, expectativas e frustrações que brotam cotidianamente.

Lidar com uma situação difícil é uma questão de adaptação, algo que precisamos aprender a fazer. Não adianta saber que há um problema, se não fazemos nada para resolvê-lo, certo? Aqui estão algumas formas de gerenciar a tensão. Você só precisa ter disciplina, e não desistir.

1.  Observe

"Identificar o que nos tira do sério é a primeira estratégia antiestresse", lembra a terapeuta corporal e acupunturista Kika Lourenço, de São Paulo. Para isso, esteja atento às modificações no seu corpo. Perceba quando uma exigência ou o contato com uma determinada pessoa alteram seu ritmo respiratório e procure interromper o processo. "Quando estamos entrando em estresse, a primeira coisa que se altera é a respiração. Ela fica mais acelerada. Para despressurizar, inspire profunda e lentamente pelo nariz e solte o ar pela boca por um a dois minutos", sugere a terapeuta. "Essa parada traz lucidez. Você percebe que está na porta de um túnel escuro, mas não entra." Em outras palavras, você se concentra na busca de soluções e não nas emoções geradas pelo estressor.

2.  Aceite a realidade do que não pode mudar

"Se você não tem meios de mudar uma situação, decidida ela está", diz a psicóloga Ana Maria Rossi. "Não adianta se martirizar." "O trânsito, por exemplo, não me pega", afirma Kika Lourenço, que mora no interior de São Paulo e trabalha na capital. "O congestionamento é sempre uma possibilidade no caminho. Faço o que está ao meu alcance. Acordo cedo e me programo para chegar com antecedência ao consultório. Mas, às vezes, um imprevisto faz o fluxo de tráfego simplesmente parar. Ligo e tento avisar o paciente, mas aceito a realidade que não posso mudar", diz ela. "Se ficar estressada, isso não vai liberar a via e ainda vou chegar mal para o atendimento", conclui a terapeuta.

Fonte: Site Exame – Saúde - 08/10/12