NOTÍCIAS

Otimismo e bom humor podem aumentar longevidade, diz estudo

11.06.2012

 Se você pretende ter uma vida longa, pesquisadores do Albert Einstein College of Medicine, nos Estados Unidos, recomendam que você seja positivo e dê bastante risada. Eles descobriram que a maior parte das pessoas com idade próxima aos 100 anos são extrovertidas e veem o mundo sob uma perspectiva otimista e despreocupada. Os resultados da análise foram publicados na edição online do periódico Aging.

A conclusão veio a partir de um projeto chamado Longevity Genes Project, com uma pesquisa com mais de 500 pessoas com idade superior a 95 anos. Todos responderam a um questionário que totalizava 98 pontos e tinha por objetivo identificar traços da personalidade dos participantes. Os testes apontaram, então, que otimismo e bom humor se mostraram características marcantes da maior parte dos idosos.

Os pesquisadores, porém, apontam que não foi possível estabelecer uma relação direta entre a personalidade e a longevidade. Além disso, ainda não se sabe se ter uma vida longa pode estar associado a questões genéticas. Ainda assim, eles apontam que ser positivo parece ser extremamente benéfico para a saúde física e mental e afirmam que nunca é tarde para adotar tal postura.

De acordo com dados do Censo Demográfico 2010 divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os idosos têm ocupado uma parcela cada vez maior da população. Em 1991, a estimativa apontava que 4,8% dos brasileiros tinham 65 anos ou mais. Em 2000, a porcentagem aumentou para 5,9%. Já em 2010, os idosos alcançaram um total de 7,4% da população.

Otimismo: aprenda a jogar nesse time e colha os benefícios

O otimismo divide opiniões. Tem a turma que acha que não passa de "conversa fiada" dos livros de autoajuda, enquanto outra acredita que esse sentimento é, sim, um ingrediente essencial para levar uma vida mais saudável. Mas, o que seria exatamente uma pessoa otimista?

"É aquela que tem a disposição interna de enxergar o lado bom em tudo e sempre acredita numa solução favorável a qualquer situação", define a psicóloga Sylvia Sabbato especialista em psicodrama. "O otimismo se manifesta também na maneira que a pessoa tem de encarar as adversidades. Tudo o que a pessoa vê ou passa durante a vida é filtrado por esse seu estado otimista de ser", aponta a especialista.

Quem é um otimista?

O otimismo é uma característica de uma pessoa. Para quem a possui, é natural ter pensamentos positivos e favoráveis. Um exemplo de quem vive assim? "A pessoa otimista assiste aos noticiários e sua atenção, qualidade cognitiva seletiva, volta-se aos aspectos bons das notícias", explica a especialista Sylvia Sabbato. Por exemplo: em vez de concentrar a atenção nas pessoas que choram, que perderam seus pertences com as chuvas, eles concentram sua atenção nos voluntários e na beleza da solidariedade.

Não desanime se você não é nem um pouco assim. O otimismo pode ser exercitado. A pessoa que está aprendendo a ter essa característica também pode optar em concentrar sua atenção nos aspectos positivos de uma notícia, de seu país e de sua vida. "Todos nós passamos por momentos desfavoráveis e o otimista também", conclui Sylvia. A seguir, conheça os benefícios do otimismo e faça sua escolha.

Otimistas vivem mais

O pensamento positivo é um aliado da longevidade. Estudos recentes da Universidade de Kentucky e de Yale, nos Estados Unidos, constataram que pessoas otimistas apresentam uma maior expectativa de vida, podendo viver cerca de 6 a 10 anos a mais do que as pessoas negativas. Quer usufruir desses benefícios? A psicóloga Sylvia Sabbato afirma que para isto, seria necessário aprender a ser otimista. Quem não traz essa característica como herança genética ou psicológica familiar pode aprender a ser otimista imitando os exemplos, convivendo com pessoas otimistas e até se submetendo a tratamentos psicológicos.

Outro estudo, publicado no jornal da Associação Americana de Psicologia, concluiu que os idosos otimistas apresentam menor declínio físico e se mantêm saudáveis por mais tempo do que aqueles que não têm essa característica. É importante cultivar esse estilo de ver a vida nessa faixa etária, principalmente porque ele gera boas emoções e favorece novas ideias.

Proteja-se contra doenças cardiovasculares

O otimismo também é amigo do peito. O Instituto Delfland de Saúde Mental, na Holanda, constatou que a turma dos otimistas têm menos chances de morrer de doenças cardiovasculares. A pesquisa comprovou que assim como o otimismo está relacionado a um menor risco cardiovascular, o pessimismo está relacionado ao pior prognóstico.

De acordo com o cardiologista da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Edmar Santos, os mecanismos da influência não são muito claros, entretanto, sabe-se que indivíduos depressivos e, portanto, num estado mais pessimista em relação à vida, têm piores desfechos clínicos (mais morte e infarto do miocárdio) em qualquer condição prévia (no pós-operatório de cirurgia de safena, pós angioplastias ou até mesmo sem doença cardíaca aparente).

Fonte: Site Minha Vida – Publicado em 30/05/2012